terça-feira, 21 de agosto de 2007

O que eu quero ser hoje?

Hoje estava frio, uma ventania do caramba. Aproveitei pra usar uma jaqueta de couro preta que ganhei da minha tia no fim-de-semana (tinha ombreiras, mas nada que comprometesse muito). Eis que chego no trabalho e ouço comentários desde "vai me dar carona na sua moto?" até "olha como ela tá malvada hoje", tudo por causa da tal jaqueta.
Fiquei pensando sobre como as roupas podem servir de símbolos para certos status e características da nossa personalidade (ou de como queremos parecer). All Star é estiloso, quase um cult: sinal de que o usuário é antenado com a moda, mas não liga para o preço do que veste. Mocassim com aqueles balagandãns prateados na frente é um mal sinal: quem está usando tem alma de nerd e, se puder, vai morar com a mãe pra sempre. Blusa da Q Vizu diz que a pessoa é bem-humorada e in. Vestido florido no joelho mostra uma mulher romântica e natural. Decotão com calça justa é coisa de vagabunda. Bolsa da Kipling é um must, só por causa daquele maldito macaquinho pendurado. E, no meio disso tudo, eu viro uma motoqueira sadomasoquista só por causa da minha jaqueta de couro! Pode uma coisa dessas?

2 comentários:

Anônimo disse...

Amiga, realmente esses julgamentos são ridículos...
...mas fala sério quando foi o dia que vc tava sadomasô que eu perdi .... ha ha ha

Just Kidding....
Thais Fonseca

Lua num instante comum disse...

Você estava com o pézinho pra cima em casa...
Perdeu,mané!