segunda-feira, 6 de agosto de 2007

Je veux seulment l'oublier

Geralmente considero qualquer divindade uma invenção do ser humano como reflexo do subconsciente. Não tenho certeza da existência de Deus, ou de alguma entidade superior e onisciente com passe livre para interferir sabiamente sobre tudo o que existe na Terra. Mas hoje eu queria muito acreditar nisso, ter fé sem reservas ou dúvidas. Pensar que há alguém que sabe exatamente o que estou sentindo e pode apagar essa angústia filha-da-puta que não passa.
Que é só eu pedir, mentalizar (credo, que new age), crer e pronto. Não entendo muito bem como funciona o processo: seria uma troca? Mas o que então Ele receberia que pudesse se equiparar aos benefícios concedidos? Acho que o pensamento tradicional é de que Ele é uma espécie de pai de toda a Humanidade que ama todo mundo incondicionalmente, sendo justo com a prole. O que quer dizer que se você é um filho legal, ganha a sua Caloi no aniversário. Se não, Ele corta a sua mesada e você vai ter que juntar o dinheiro do lanche até dar pra comprar a tal da bicicleta. Às vezes, mesmo você agindo certo (seja lá quais forem os padrões pra isso), Ele quer que você aprenda alguma coisa. Então dificulta a sua vida pra você descobrir um jeito de se virar. Talvez eu me encaixaria na última opção, da filha legal que se fudeu aparentemente sem motivo. Acho que estou seguindo os passos certos, mas a angústia continua, os pensamentos que eu quero evitar ainda estão aqui, indo e vindo nos momentos mais inconvenientes. Não tem conselho, time out, livro ou sei lá que outras coisas tenho inventado pra ocupar a cabeça que faça passar. Daí é que vem “je veux seulment l’oublier” : “eu só quero esquecer”. Se eu pelo menos tivesse fé podia ser que facilitasse...

2 comentários:

Anônimo disse...

Oi amiga

Lindo seu texto, vc gosta de escrever que nem eu...filosofar é viver! Adorei sua iniciativa.
Que bom que vc quis compartilhar o que sente, e assim podemos trocar!
Coincidência ou não acabo de vir de um lugar onde estava falando exatamente sobre isso: O Deus que todos têm como o pai que pune ou dá aquele tapinhas nas costas dizendo:"Isso mesmo meu filho, parabéns, vc sofreu mas conseguiu..."
Acabo de ler um livro genial, de Einstein - O "enigma do Universo"- you should read it! By the way all should read it!! Eh um livro perfeito para esse penamento. Eisntein é o cara mais espiritualizado com o pé no chão que eu pude ver a existência... Ele mostra a realidade da divindade de uma forma nada empírica, como os racionais desejam. Deus não se explica, se sente.
Eu sou uma pessoa profundamente religiosa, mas sem religião. O que é Deus para mim? Não tem como explicar, nem me atreveria...penso que o que dizem do ser humano só usar menos de 10% do cérebro é uma grande piada, pq penso que para se entender Deus, não usamos nem 0%! Pq só se entende ELE com a mente búdica, do não eu, tal mente que o dia que acessarmos não seremos mais serem limitados...seremos avatares, budas, Cristo!
Sim eu sou new age total...e digo que esse é nosso caminho: sermos Deuses, nos fundirmos à Criação. Pq jpa diria o nazareno, que "Todos vós sois deuses". Mas não somos ainda porquento nos identificarmos com nossa mente. By the way nos não somos a nossa mente! -Já diria Eckhart Tolle no precioso "Poder do Agora" best seller revolucionário- na promoção na saraiva.com ha ha ha. Seria um pré lançamento do The secret. E eu já li há mais de 6 anos atrás...
Finalizando, e não querendo julgar nem criticar (imagina!! hahahahah) somos vítimas dos dogmas religiosos (cristãos)estabelecidos que Deus é aquele que está a tudo ver e julgar, sendo como um Pai que presenteia ou castiga um filho...Isso realmente vem de uma mentalidade infantil, espiritualmente falando.
Física, metafísica e mística. Isso é a Lei, isso é "DEus". Ação e reação...como você é com o mundo, o mundo é com você. Pensamento é corrente eletromagntética em ação. Uma vez q vc pensa, essa coreente vai para o universo e volta para vc. Estpa tudo matematicamente, milimetricamente computado, pelas leis da física, da Criação. Sintonia, vibração. Nada a ver com um ser limitado e espectador olhando p cada um de n´so e computando suas ações morais, éticas e anti-éticas!
Faça pela ética. Não espere nada em troca! Aceitação é a palavra chave. A colheita é sempre justa...é o retorno do que você plantou. Se poupou amor, perdão, tolerância...não espere o mesmo de volta! Na lei espiritual semelhantes se atraem...

E lembre-se: No final das contas não terá um Deus te esperando e dando um tapinha nas suas costas dizendo que vc conseguiu...

Apenas seja o melhor que vc puder ser, pela pura ética. E faça sempre o que te faz feliz, mesmo que no momento sua consciência pense que felicidade são coisas que vc não concorda...mas o tempo é de cada um. E nascemos e morremos a cada minuto!

Beijos, sua amiga Karyne (kaká)

Lua num instante comum disse...

Eita!