quinta-feira, 28 de maio de 2009

E tenho dito

Eu e as minhas manias. Mania de me apaixonar, de entrega, de dizer em vez de calar, de perder o medo. Hoje eu me perguntei por que só sei gostar errado. Pensei mais um pouco e, logo em seguida, cheguei à conclusão de que não gosto errado, gosto do único jeito que faz sentido pra mim: com um desejo desvairado de ser feliz ao lado de um certo alguém. 

Se esconder dessa chance pequena - mas não inexistente - quando se sente o bastante pra pelo menos tentar é medo ou pobreza de espírito. Tentar é se expor ao desconhecido, mas ficar em cima do muro é se apegar às certezas do que se tem agora (e será que a troca vale mesmo a pena?).

Se as coisas vão bem e continuam bem depois de algum tempo e as duas pessoas se curtem, não vejo razão pra não arriscar ficar junto. Sem pressões, rótulos, cobranças, imposições ou obrigações, com as únicas ressalvas da sinceridade e fidelidade. Apenas poder serenar ao lado de alguém, se deixar envolver e querer bem. 

Cansei de ficar me estapeando contra isso: sou romântica, por mais cafona e careta que possa ser. Me apaixono à primeira vista, passo noite em claro, choro ouvindo música e vendo filme, amo sem vergonha, juízo nem medo de outra desilusão. Eu, Cazuza e Vinícius de Moraes somos, ó, farinha do mesmo saco. Isso às vezes me magoa e me faz querer ser diferente mais do que tudo, mas essa sou eu e tenho dito. Quem me quiser, que esteja ciente e me queira ainda mais por causa disso. 

Sabe-se lá por que, lembrei da minha primeira ressaca, cheia de dores de cabeça e enjoos. Perguntei pra alguém se seria sempre daquele jeito ou se depois de um tempo eu iria beber sem precisar passar por aquilo tudo de novo. A pessoa me disse que sim, eu continuaria a ter ressacas, e que seriam todas daquele jeito, eu só aprenderia a conviver com as ditas-cujas. Cheguei à conclusão de que o mesmo vale pras dores de cotovelo. Pena que não existe Engov pra elas.

4 comentários:

Winnee Louise disse...

lu, isso de serenar é bem assim mesmo. você merece isso e logo encontra, não se apoquente.

Luanda de Lima disse...

Tô apoquentada não, tô é cansada.

Moça do Fio disse...

É, meu bem... não existe Engov pra elas. Em contrapartida, há os amigos, o colo da mãe... e ser intensa nem é tão ruim. Quando acontece algo muito bom, só a gente sente o fato na mais pura essência =)

Beijos.

Blog do Óbvio disse...

Aprenda a entender que você tem uma coisa que muitos não conseguem ter: sensibilidade à flor da pele. Curta isso e trabalhe bem com ela. Seja feliz. Manoel Eduardo. - Brasil.