quinta-feira, 14 de maio de 2009

Alguém amarre meu pé na mesa

Sabe aquela pessoa que curte um devaneio? Então, sou eu. Pode ser no ônibus, no hall da faculdade enquanto a aula não começa, no restaurante do estágio, na cama olhando pro teto, enfim, em qualquer lugar e ocasião que me permita, eu pratico o hábito de pensar em nada e em tudo. De "hum, será que ainda tem torta na geladeira?" até "essa onda de consciência ambiental é só moda?".

Nesses últimos tempos, o tema principal das minhas viagens é o futuro. Com o fim da faculdade chegando, estágio em andamento e coração indeciso, começo a pensar em trocentas ideias. Lembra do "Você Decide?". Pois passam pela minha cabeça trailers de possíveis finais para as situações que eu ando vivendo, mas sem a tranquilizadora opção de receber a melhor escolha de bandeja.

Pensando agora, até seria bem legal ter uma linha de 0800 para os dilemas mais brabos: "Se você acha melhor pós lato sensu, tecle 1. Para stricto sensu, tecle 2". "Manter o foco da carreira por aqui, tecle 1. Girar o globo terrestre e pôr a mochila nas costas, 2". "Investir no carinha e colocar o meu coração de vidro na reta, tecle 1. Continuar curtindo os prazeres da solteirice sem mais preocupações, 2". Depois, seria só conferir a mais votada e pronto, seguir em frente sem medo. Se bem que, apesar de ser a saída mais fácil, ter suas próprias escolhas feitas por terceiros tem um quê de frustrante.

Mesmo com as noites maldormidas, as dores de estômago e as rugas na testa, ponderar sobre a melhor opção e decidir pela mais adequada me parece um passo importante do processo. Assim como, depois de fazer a escolha, confiar no próprio taco e não ficar se torturando pra tentar descobrir como seria se a decisão fosse outra. Pensar bastante, tentar a sorte e pular de cabeça, simplesmente.

3 comentários:

Felipe Melo disse...

É como diz o ditado: "O futuro adeus pertence."hehehehe, ou seja, diga "adeus" às suas previsões, pq a vida faz aquela ligação para o "Você Decide" e sempre escolhe a opção 2... c'est la vie...

Ah, pode não ter muita relação com o q vc escreveu, mas aquela história de "0800 para dilemas mais brabos" me lembrou um livro do Chuck Palahniuk (autor de "Cliube da Luta"), que se chama "O sobrevivente" (survivor), que é muito bom por sinal, e que o personagem principal do livro tem seu telefone publicado por engano num anúncio de "disk-auto ajuda". As pessoas ligavam pra ele e ele aconselhava as pessoas para se livrarem dos seus problemas: "MATE-SE!" heheheheehe (humor negro a essa hora da manhã é foda...).

Moça do Fio disse...

Ai, ai, menina...

Estamos na mesma situação. É pra escolher tema de monografia, temos que ser os melhores alunos, temos que ser destacados.. Isso cansa. E nossas escolhas? Ficam todas misturadas.

Vamos parar o mundo um pouquinho e descer? Depois a gente volta ;-)

Beijo.

Blog do Óbvio disse...

Luanda, seu modo de pensar está muito certo. Você é a pessoa mais indicada para saber o que quer. Escolha e dê tudo de você mesma para seu projeto (entre de cabeça). Claro que deve pedir explicações para não quebrar a cara, mas o fundamental é seu. Parabéns e boa sorte. Beijos. Manoel.