sexta-feira, 22 de agosto de 2008

A caminho da terra em que se come purê no cachorro quente

Hoje vou para São Paulo e estou empolgadíssima com isso. Vendo a minha euforia, alguns amigos começaram a pôr em prática aquela velha rixa Rio-São Paulo e dizer "ah, que é isso, aquele lugar sujo, cinzento, barulhento, aquela gente esquisita", usando, para justificar esse último argumento, o costume paulistano de colocar purê no cachorro quente. Rebati dizendo que carioca come macarrão com feijão (inclusive existe Miojo sabor feijão, credo), que é a combinação gastronômica mais bizarra que eu conheço e terminou o assunto.

De novo, vou ficar só  um fim-de-semana (vou hoje à noite e volto domingo à tarde) e vou passar o sábado quase inteiro num seminário jornalístico sobre cobertura de eleições. Dessa vez, vou para a casa de uma amiga e a minha esperança é a gente conseguir sair sábado à noite e fazer algo domingo (será que o MASP abre?). Foi uma novela para conseguir fazer a inscrição no seminário e, como a minha dureza não permitiu ir por via aérea, vou enfrentar 6 horas na estrada na ida e mais 6 na volta (já estou preparando o kit-sobrevivência, com livro, revista, água e biscoitos), mas nada consegue me desanimar.

Adoro justamente o que todo mundo levanta como motivo para desgostar de São Paulo. O barulho, os prédios enormes, as tribos, a movimentação incessante, o clima, o mercado mais amplo para a minha área e a sensação de que estou realmente numa metrópole, de que as coisas estão acontecendo. Tudo bem, o trânsito é um caos e o sotaque ainda me dá vontade de rir de vez em quando, mas enfim, os nativos devem se sentir da mesma forma a meu respeito. Ah, e aquela história de que eles gostam de sacanear quem é do Rio e não dar informação é lenda urbana; todos foram muito solidários quando fui me perder por aquelas bandas da outra vez. Se bem que, apesar de ter vivido no Rio quase a vida inteira, sou cearense...

3 comentários:

Anônimo disse...

Não estou aqui pra falar mal de São paulo, nem pra sacaner paulista. Até porquê Deus já fez isso...
São Paulo não é uma cidade ruim... se fosse ruim estaria ótimo!! mas tirando o barulho, a poluição, o "purê no cachorro quente", os mano (pow), as mina (pá), o trânsito (do Aurélio: afluência de pessoas e/ou veículos), ou a ausência total dele, a falta de boas praias (ê ê ê ê - a praia de paulista é o rio Tietê), "vidaloca truta é nóis"... ai, ai... nem miojo com feijão é pior que isso!!

Bonus track:

* Gastronomia: já tomou leite com xarope de groselha?

* Televisão: Já viu o horário eleitoral de Belford Roxo?? hauahuahuahauha (na CNT, não perca!!)



F.M.

Winnee Louise disse...

Um enorme PS e bem maiúsculo mesmo... eu a-mo o cachorro quente de São Paulo. É quase um plano B abrir uma barraquinha de cachorro-quente prensado e com purê no Rio. E se os cariocas não gostarem, azar o deles... sobra mais pra mim!

ocaraestranho disse...

São Paulo é uam cidade maravilhosa. O ar é poluído, mas ali se respira cultura. =D
As tribos, a vida ultra urbana, as baladas, o ritmo frenético da cidade... é tudo intenso, tudo grande, tudo maravilhoso. Besteira carioca falar que sampa é ruim. Morei la'por mais de um ano e volto pra primeira oportunidade que tiver.

Sobre o cachorro quente com purê, recomendo o do Black Dog, que fica ali numa rua transversal à Paulista, bem no meio. Sugiro o prensado na baguete, uma iguaria para poucos.

Quando voltar a sampa, não esqueça de me convidar!

beijos