domingo, 1 de fevereiro de 2009

Classificados

Ele está escondido no fundo do armário, do lado direito, atrás dos casacos. Dentro de uma sacola amarela de livraria. Ainda embalado com papel de presente dourado e etiqueta com o nome do então aniversariante (o cartão eu já joguei fora). Quanto ao livro dentro da sacola, eu simplesmente não sei o que fazer.

A ideia - ai, que tentação de colocar um acento em cima desse "e" - mais lógica seria ficar com o dito-cujo mas, mesmo depois desses meses todos, ele ainda traz ecos daquele misto de amargura e desesperança dos amores frustrados.

A sensação, agora, é bem mais branda, mas continua lá. Simplesmente entregar pra algum amigo algo que escolhi pensando em outra pessoa me parece cínico, não sem contar a trajetória dele, mas daí vem aquela sensação de novo e dá preguiça. Chegou a temporada anual de me livrar daquilo que não me serve mais, então...

...Bukowsky em quadrinhos, quem quer?

3 comentários:

Winnee Louise disse...

eu não acho cinico, não senhora! me dá isso que eu faço bom proveito, se ele não fez por merecer eu faço!

Amandla Awetú disse...

Eu tb faço!

Mattheus Rocha disse...

Eu quero !!!!!